sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Pausa dramática pelas vítimas do Haiti e também pelos vivos que lá estão. Sou um deles. Por não deixarem escolher: as minhas escolhas são as marginais e eles vão rir. Não quero consumir o que consomem e consumo, riem ainda mais.... pobrezinho! Aos cabeludos, às meninas de lábios vermelhos, aos tatuados, aos amantes do mesmo sexo, aos meninos de shorts curto, aos maconheiros, às meninas gordas de dentes amarelos, aos circenses que estão na rua, aos artistas plásticos que desenham no papel pequeno, aos cineastas que filmam por dez minutos, aos atores sem teatro, aos poetas e jornalistas de blog e tantos outros excluídos. E perguntem aos Haitianos o que querem gritar, e perguntem aos jovens o que querem dizer. Veja só o teu sobrinho Rosa que coisa mais feia, quer fazer graça. Me deixem escolher, por favor me deixem escolher. Tudo o que tenho até agora fiz sozinho, ó Haiti. Não o ignorem.

(J. Larios, 17)

Um comentário:

Deia disse...

Adorei!